fbpx

Aos domingos, 8h15 no

teste teste teste
teste de diabetes teste de diabetes Foto: Adobe Stock
Saúde

Diabetes: 16 milhões de pessoas têm a doença no Brasil

Por Sempre Bem

O diabetes é uma doença silenciosa crônica que tem crescido no Brasil. Ela acontece quando o pâncreas não produz a quantidade de insulina suficiente ou quando o corpo não consegue absorvê-la da forma correta. A insulina é um hormônio que tem como função metabolizar o açúcar no sangue (glicose) para produção de energia.

Boa parte dos casos está relacionado à genética, mas os fatores externos também podem causar o aparecimento da doença. "Entre os fatores ambientais predominantes está o excesso de peso, alimentação muito rica em açúcares e gorduras, privação crônica do sono e falta de atividade física", destaca a endocrinologista Flávia Barbosa. 

Pessoas com diabetes devem estar atentas aos  níveis de glicose no sangue. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, o controle é fundamental para evitar outras doenças. 

Nos últimos dez anos, a taxa de incidência da doença cresceu mais de 61% no Brasil. 

(Fonte: Organização Mundial da Saúde - OMS)

Diabetes Tipo 1 

Tem relação com o sistema autoimune. Normalmente esse tipo de diabetes é identificado na infância ou adolescência. As células responsáveis pela defesa do organismo atacam as células saudáveis. "A produção de insulina pelo pâncreas é praticamente nula", explica a endocrinologista.

Veja também essa entrevista da Bruna Thedy com especialistas (Dossiê do Diabetes)

 

Sintomas 

Além de emagrecimento fora do normal, nervosismo e mudanças de humor, pode ocorrer:

  • Sede constante
  • Vontade frequente de urinar 
  • Dor de cabeça
  • Visão embaçada
  • Fadiga extrema 
  • Tontura, náusea e vômito
  • Fome excessiva 

Para o controle mais adequado e rigoroso do diabetes tipo 1, também é importante verificar a taxa de açúcar no sangue diariamente, utilizando as tiras reagentes e o glicosímetro. (Flavia Barbosa, endocrinologista)

Tratamento

Para o tratamento para desse tipo da doença, é necessário aplicação diária de insulina, sempre de acordo com recomendação médica.

Melhores locais para aplicação da insulina:

  • barriga 
  • coxa 
  • braço 
  • região da cintura 
  • glúteo

Procedimento

Dependendo do tamanho da agulha, a orientação é fazer uma prega subcutânea e inserir a agulha em um ângulo de 90 graus. A escolha do ângulo depende do tipo físico, local de aplicação e comprimento da agulha. 

Agulhas de 4 mm e 5 mm, dispensam a prega subcutânea e a única recomendação é que a injeção seja feita em ângulo de 90 graus. Mas, se a área do corpo tiver menos gordura, a aplicação deve ser feita em um ângulo de 45 graus. 

Veja também a reportagem (Doenças Silenciosas: a importância do check-up)

 

Diabetes Tipo 2 

Acontece quando o corpo não aproveita a insulina produzida da forma certa. Normalmente esse tipo de diabetes está relacionado ao sobrepeso, obesidade, sedentarismo, triglicerídeos elevados e hipertensão. É mais comum a partir dos 50 anos de idade.

Sintomas 

  • Fome excessiva 
  • Sede excessiva 
  • Frequentes infecções na bexiga, rins e pele 
  • Feridas que demoram para cicatrizar 
  • Alteração visual 
  • Formigamento nos pés e nas mãos

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pela dosagem de glicose no sangue. Os sintomas para esse tipo da doença podem levar tempo para aparecer. É indicado fazer exames periódicos, especialmente, para pessoas acima dos 45 anos ou com histórico familiar da doença.

No Brasil, aproximadamente 90% dos pacientes têm diabetes do tipo 2 

Tratamento 

O tratamento do diabetes tipo 2 é feito com medicamentos, mas é indispensável seguir uma rotina de exercícios físicos e alimentação saudável. 

Leia também o artigo (Glicemia: a importância do controle glicêmico)

Pré-diabetes

Alteração da glicose no sangue, intermediária entre a glicose normal e o diabetes. O pré-diabetes é reversível, se tratar o excesso de peso, o sedentarismo, o tabagismo, a má alimentação e a má qualidade do sono.

CUIDADO! 

Se o diabetes não for tratado de forma adequada, podem surgir complicações, como retinopatia, nefropatia, neuropatia, pé diabético, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, entre outras.

Diabetes gestacional

É o diabetes que ocorre somente durante a gravidez. Nela, as taxas de açúcar no sangue ficam acima do normal, mas não o suficiente para ser considerada diabetes tipo 2. Segundo o Ministério da Saúde, esse tipo da doença atinge entre 2 e 4% das gestantes e aumenta o risco de desenvolvimento posterior do problema para mãe e bebê. 

Previna o diabetes 

  • Tenha bons hábitos de vida  
  • Adote uma alimentação saudável, controle os doces 
  • Pratique atividades físicas  
  • Mantenha o peso normal
  • Monitore o açúcar no sangue
  • Evite álcool e cigarro 

O país registrou crescimento de 12% no número de mortes entre 2010 e 2016. Foram 54.877 mortes em 2010 para 61.398 no ano de 2016 (Fonte: Ministério da Saúde)

Glicemia

IDEAL - entre 70 e 100 mg/dL

HIPERGLICEMIA - a partir de 100 mg/dL em jejum ou 140 mg/dL duas horas após as refeições

HIPOGLICEMIA - abaixo de 70 mg/dL

Assuntos relacionados

Este artigo encontra-se originalmente publicado na edição 34 da revista Pague Menos Sempre Bem, que tem o Bráulio Bessa na capa. 

Por Sempre Bem

Comentários

Cantinho da Bruna

Bruna Thedy mostra que uma produção não precisa de muito para fazer bonito.

Conheça