fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Câncer de Pele - Dezembro Laranja

O câncer de pele é o mais frequente no Brasil e no mundo. Esses dados alarmantes motivaram a Sociedade Brasileira de Dermatologia a criar o Dezembro Laranja, um movimento para estimular a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele. Mas será que a população tá atenta a esse movimento? Vamos descobrir.

Dezembro Laranja marca o mês de prevenção ao câncer de pele e você precisa apoiar essa causa, sabe por quê? O Sempre Bem vai te mostrar agora.

Câncer de pele

O câncer de pele é o mais frequente no Brasil e no mundo. Esses números alarmantes motivaram a Sociedade Brasileira de Dermatologia a criar o Dezembro Laranja, um movimento para estimular a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele. 

Muitas pessoas associam o verão à praia, férias, água de coco, calor, areia, banho de mar, surfe… mas pouca gente sabe o que significa o Dezembro Laranja e como combater e prevenir o câncer de pele. 

Cuidados com rosto e corpo

A fisioterapeuta Juliana Ramos conta que possui um cuidado exemplar com o rosto, mas sempre se esquecia do corpo. Isso porque achava que sua pele era morena e não necessitava de tantos cuidados no horário escolhido para exposição solar. “No máximo, colocava uma blusa, mas às vezes eu saía de top”, comenta.

Confira o artigo (Câncer de pele é o mais frequente no Brasil e no mundo)

Juliana fala que depois de um tempo foi a uma consulta de rotina, e a dermatologista pediu para ver o rosto e o resto do corpo para averiguar se estava tudo bem. A médica encontrou um sinal que não tinha antes e contou para a fisioterapeuta que poderia ser um carcinoma basocelular (CBC).

Tipos de câncer de pele

De acordo com Raíla Macedo, dermatologista, existem basicamente três tipos de câncer de pele: 

  • Carcinoma basocelular: é o tipo mais comum e menos agressivo. São lesões papulosas que surgem na pele das pessoas, em áreas expostas, e normalmente são únicos. O principal tratamento é a cirurgia, fazendo com que a pessoa fique curada.
  • Carcinoma espinocelular: é o intermediário. Normalmente, pode dar metástases também.
  • Melanoma: é o tumor mais raro, porém é o mais agressivo e com maior risco de morte. Normalmente, se apresenta como uma pinta ou uma mancha de aspecto irregular que cresce em tamanho e profundidade. Pode dar muitas metástases e ser bastante agressivo. 

Juliana Ramos revela que seu sinal era pequeno e depois começou a ficar maior. “Eu sempre achei que isso era do processo de envelhecimento da pele. Mas ele também começou a coçar e algumas vezes machucava como se quisesse sangrar”, fala.

Sol com responsabilidade

Mas calma, o sol não precisa ser nosso inimigo. Se soubermos aproveitá-lo com responsabilidade, só vamos sentir os benefícios.

Veja também esse #FicaADica (Fica a Dica – Vai à Praia? Proteja-se!)

Conforme a dermatologista, o verão e as férias estão chegando, e as praias estão lotadas. Então, é importante pegar o sol com responsabilidade.

A assistente social Kirlla Menezes conta que usa muito protetor solar e vai à praia a partir das 16h. “A gente sempre recomenda exposição solar em alguns horários mais adequados: até 10h e depois das 16hm, sempre fotoprotegido”, complementa Raíla.

O fotoprotetor precisa ter um FPS de, no mínimo, 30 para proteger contra o câncer de pele, devendo ser aplicado antes de se expor ao sol e reaplicado, em média, a cada duas horas. 

Utilizar também outras medidas, como chapéu, boné, blusa de fotoproteção, sempre ficar atento a alguma lesão que surja de forma diferente e procurar um dermatologista para avaliar outras lesões.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 8 de dezembro de 2019.