fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Sono e Saúde: por que dormir melhora a qualidade de vida?

Há diversos distúrbios do sono que contribuem para a perda da qualidade de vida. O Sempre Bem ouviu o neurologista Samir Magalhães e a otorrinolaringologista Juliana Simões sobre os cuidados para prevenir e tratar esses problemas. Confere aí!

Você dorme bem? Dormir bem não se resume a ter sete ou oito horas de sono. Na verdade, o descanso à noite é uma verdadeira arte que envolve uma série de fatores. Hoje, o Sempre Bem vai dar mais informações sobre isso pra gente.

Dormir bem é essencial para uma boa qualidade de vida. Mas há quem sofra para pegar no sono. Segundo a Associação Brasileira do Sono, de cada três brasileiros pelo menos um tem insônia.

Insônia

De acordo com Samir Magalhães, neurologista e médico do sono, isso se torna um problema de saúde pública, muitas vezes. Por volta de 10% da população têm insônia crônica, ou seja, têm insônia pelo menos três vezes por semana, por mais de três meses.

O servidor público Daniel Fonsêca começou a perceber que tinha um modo de sono diferente há 25 anos. Isso o impedia de ter uma vida normal, já que falta aula, ficava cansado durante o dia, dentre outras atividades. Depois disso, percebeu que tinha uma doença do sono, que começou a afetar a sua vida cotidiana.

Insônia crônica

Para o médico do sono, a pessoa que sofre com insônia crônica tem uma série de manifestações clínicas que acontecem em vigília, por exemplo:

  • Cansaço
  • Irritabilidade
  • Tristeza
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Dificuldade de digestão
  • Déficit de atenção

Na tentativa de driblar a insônia, Daniel Fonsêca procurou adaptar o seu horário de trabalho para que esse problema não o impedisse de viver a vida normalmente.

Tratamento

“Ter um comportamento relacionado ao sono e a rotina favorável melhoram a chance de você não ter insônia crônica e favorece a qualidade de vida melhor. Quando essas medidas não são resolutivas, existe a possibilidade de você tentar intervir com o tratamento medicamentoso”, explica o neurologista.

Distúrbios do sono

Ronco

Além da insônia, que é um dos distúrbios do sono mais comuns na atualidade, “nós podemos caracterizar também o ronco, que pode vir ou não associado com apneia do sono”, pontua Juliana Simões, otorrinolaringologista.

A empresária Lorena Guerra revelou que roncava um pouco, tinha um sono inquieto e sempre acordava várias vezes à noite. Um dia, ela teve a sensação de ter ficado engasgada e isso a preocupou.

Apneia do sono

“A apneia do sono representa uma queda da saturação do oxigênio. Isso manda um estímulo para o cérebro, que causa um microdespertar. Então o paciente não consegue chegar ao sono REM adequadamente, que é aquele sono restaurador”, explica a otorrinolaringologista.

O tratamento para casos leves geralmente é feito por meio de exercício físico para que a pessoa perca peso e melhore o tônus muscular,. Outra medida é buscar a orientação de um nutricionista. “Quando começo a fazer atividade física e emagrecer, realmente eu consigo ficar melhor”, declara a empresária.

Ritmo circadiano

Existem também as alterações no ritmo circadiano, ou seja, quando o relógio biológico não se adapta aos horários externos. Conforme o neurologista, o ritmo fisiológico da pessoa está completamente incongruente e discrepante do que deveria ser, podendo causar impacto na saúde dela.

“O ato do paciente dormir bem, ter um sono restaurador e que recupera as energias para o dia seguinte é uma coisa fundamental para a saúde do ser humano”, acrescenta Juliana Simões.

Hábitos que beneficiam o sono

  • Ter horários regulares para deitar e acordar
  • Usar o ambiente do quarto no período noturno já com o caimento da intensidade de luz
  • Evitar o uso de aparelhos que tenham iluminação intensa, como celulares e computadores
  • Ter uma alimentação leve à noite
  • Evitar atividades físicas ostensivas depois das 19h
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas ou energéticas no período da noite

Isso tudo vai dificultar a possibilidade de que a pessoa tenha uma noite de sono adequada.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 17 de novembro de 2019.