fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Dossiê da Escovação: segredos de uma boca saudável

Todo mundo sabe da importância de escovar os dentes todos os dias. Mas será que você faz a escovação de forma correta? Descubra vendo a matéria da Ladinne Campi com a dentista Ciede Braga.

História da escova de dente

A primeira escova de cerdas surgiu em 1498, na China, com pelos de porco. Ainda bem que em 1938 inventaram as cerdas de nylon, e de lá para cá ficou muito mais fácil sorrir. Que falte tudo na nécessaire menos uma boa escova de dentes.

Dicas para escolher a escova de dente

De acordo com a dentista Ciede Braga, o ideal é procurar uma escova de dente que tenha uma cabeça pequena para facilitar o acesso aos dentes posteriores, e que a pessoa consiga removê-la sem se machucar. Além disso, não se deve esquecer de verificar as cerdas, que devem ser macias.

Muita gente acha que as cerdas mais duras acabam limpando melhor. MITO! “Na verdade, a pessoa pode se machucar e fazer um sangramento sem necessidade”, pontua a dentista.

Qual o período para trocar?

Em média, a cada três meses. “Se as cerdas estiverem ficando mais abertas, chegou a hora de trocá-las”, recomenda Ciede.

Movimentos durante a escovação

Os movimentos também fazem muita diferença na escovação. Conforme Ciede Braga, eles devem ser circulares, por exemplo, imagine que você vai tirar a placa bacteriana de perto da gengiva (no inferior - de baixo pra cima e no superior - de cima pra baixo). Caso se torne complicado, a dica é fazer esses movimentos de forma circular, para remover a placa sem se machucar.

Língua e bochecha também precisam ser escovados, porque senão a bactéria que foi removida dos dentes e da gengiva vai voltar. 

Precisa escovar os dentes de manhã, de tarde e de noite?

“Se a gente imaginar que nos alimentamos e acabamos sujando os nossos dentes, então precisamos, pelo menos, escová-los de três a quatro vezes, durante o dia”, explica a dentista.

Fio dental e enxaguante bucal

A maioria das pessoas sabe que o fio dental e o enxaguante bucal andam de mãos dadas com a pasta de dente. 

Eles devem ser usados em todas as escovações ou podem ser deixados somente para a noite? 

Para Ciede, se as pessoas tivessem tempo suficiente seria ideal realizar a higiene completa, usando todos esses itens. Caso não consiga, a dica é que pelo menos a escovação noturna tenha a presença do fio dental. 

Às vezes, os indivíduos substituem a escovação pelo uso do fio dental, pois estão na correria do dia a dia e acham que ao passá-lo irá amenizar a higiene bucal, mas isso não é verdade. “Não se deve substituir a escovação por um bochecho”, complementa a especialista.

Escova interdental

Apesar de ser pouco conhecida, a escova interdental é recomendada para higienizar espaços maiores entre os dentes, onde o fio dental entre folgado e que as pessoas não consigam limpar direito. “Ela facilita a entrada de dentes mais afastados, onde tem um acúmulo de placa bacteriana no final, próximo à gengiva”, ressalta a dentista.

A escova interdental deve ser utilizada sempre com delicadeza, para que possa remover com calma e sem pressão as placas e a sujeira acumulada entre os dentes.

Se a limpeza não for feita corretamente, o que pode trazer e quais são os malefícios?

Segundo a profissional, pode ocasionar a gengivite, periodontite, cárie, provenientes de uma má higiene. Esses problemas podem acarretar doenças sistêmicas, pois algumas delas se manifestam pela boca. Se ela não for higienizada de forma correta, a proliferação será muito maior. 

Saúde bucal em dia

Colocar em prática estes três passos: escovar os dentes, passar o fio dental e depois o enxaguante bucal, é o mais importante para deixar a saúde bucal sempre em dia. “O ideal é usá-los todos os dias, se possível, ou pelo menos à noite ter uma dedicação maior e um tempo para sua saúde”, indica a dentista.

Cuidar dos dentes é sinônimo de sorrir mais.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 10 de novembro de 2019.