fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Tecnologia e Relações Familiares: limites para pais e filhos

Muita gente já anda chamando os aparatos tecnológicos, como tablet, computador e smartphone, de babás eletrônicas. Mas impor limites é extremamente necessário, viu!?

Brincar, conversar e até mesmo fazer uma refeição juntos, hábitos que até bem pouco tempo atrás eram comuns na rotina das famílias estão cada vez mais raros. O motivo: a tecnologia. 

Distanciamento entre pais e filhos

Algumas pesquisas já apontam que celulares, tablets, TVs e smartphones são a maior causa de distanciamento entre pais e filhos. 

“A gente deixou de ter tempo hábil para conseguir se dedicar às relações mais significativas, apesar de ter a impressão de que se tem muitas relações”, comenta Jamille Façanha, psicóloga.

Uso da tecnologia pelos filhos

Existem pais que estipulam horários para os filhos usarem tecnologia, mas nem sempre foi assim. Algumas crianças gostam de brincar com brinquedos, enquanto outras preferem se divertir com aparelhos tecnológicos, o que pode acarretar na falta de interação com as pessoas ao seu redor.

Para diminuir o tempo de tela, é interessante que os pais ofereçam outras alternativas de diversão para que as crianças esqueçam um pouco da tecnologia e brinquem com a família e os amigos.

De acordo com a psicóloga, é preciso estabelecer regras e o uso adequado, por exemplo, fazer uma pesquisa da escola, mas não ficar assistindo ao desenho a longo prazo. Além disso, os pais devem controlar os jogos que estão sendo colocados naqueles aparelhos. A regra é muito simples: observar os filhos.

Monitorar e controlar a tecnologia em casa

Diego Mello, pai de dois filhos, fez uma conta para os aparelhos tecnológicos da sua casa, para monitorar e controlar o que eles podem ver ou jogar. Complementando essa ideia, a mãe Danielle Dantas fala que é importante ter esse controle porque a tecnologia pode prejudicar o cognitivo, a visão e o relacionamento interpessoal. 

“Estamos na era da tecnologia, que trouxe muitas mudanças, mas a gente precisa de adaptar a isso. Tudo precisa de controle e o excesso vai causar prejuízo”, comenta a mãe.

Conforme a escritora Martha Gabriel, as gerações mais antigas também estão usando tecnologia sem controle e sem pensar. Existem estudos que mostram que os filhos reclamam dos pais, que ficam o tempo todo no celular, não prestam atenção neles e isso se torna péssimo para a relação familiar.

Criar novas oportunidades de lazer em família

“Não é que o pai deva dizer para o filho: solta o celular. Os pais devem criar oportunidades da família ter outros momentos, como jogar juntos, realizar passeios, criar situações de lazer, fazendo com que as crianças nem se lembrem da tecnologia”, ressalta a psicóloga. Isso ajuda a construir relações e estimular a criação de coisas significativas na vida. 

As pessoas precisam estar convencidas que o que há de mais importante para o indivíduo e para as famílias é um senso de pertencimento e as relações significativas. O tempo em família fortalece os laços, promove o diálogo e aumenta a confiança entre pais e filhos. 

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 13 de outubro de 2019.