fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Outubro Rosa: conscientizar para prevenir

A campanha Outubro Rosa busca conscientizar sobre a importância da prevenção ao câncer de mama. Esse tipo de câncer é um dos mais frequentes nas mulheres brasileiras. Por isso, ouvimos a ginecologista Lilian Serio e a psicóloga Maria Camila Moura que falam dos fatores de riscos, autoexame e muito mais!

Outubro rosa

Outubro chegou e nada melhor do que começar falando sobre a campanha Outubro Rosa, que busca conscientizar pessoas do mundo inteiro para o controle do câncer de mama.

O que é o câncer de mama?

“Acontece quando as células malignas começam a crescer de forma desordenada na mama. É difícil de fazer um diagnóstico precoce se a pessoa não estiver procurando ou prevenindo isso”, explica Lilian Sério, ginecologista.

Sintomas

  • Nódulo interno que pode ser apalpado e também visto pelo exame de imagem
  • Secreção que sai pelo mamilo, que seria um fluido desconhecido
  • Retração do mamilo, é quando o mamilo inverte. Trata-se de um tipo de câncer um pouco mais avançado que se localiza atrás do mamilo
  • Câncer inflamatório da mama, principalmente na pele, deixando-a inchada e com furos por conta do edema

É importante lembrar que nem toda inversão de mamilo é um câncer. “Deve haver preocupação quando os dois bicos dos mamilos eram para fora, mas um deles entrou e o outro não”, ressalta a ginecologista.

A psicóloga Maria Camila descobriu que tinha câncer aos 26 anos, enquanto tirava uma selfie. Ela apalpou a mama e sentiu uma protuberância. Como era jovem, não tinha histórico de câncer na família e tinha uma vida saudável, Camila ficou surpresa. Ou seja, o cuidado é válido para todas as mulheres, não só as que são consideradas fator de risco.

Dores do câncer de mama

O câncer de mama traz diferentes dores, como a dor do adoecimento, incerteza da cura, estigmatização da mulher que fica sem cabelo e mama (símbolos da feminilidade), estigma de que nunca vai amamentar. “É um período de muito sofrimento psíquico, além do sofrimento do mal-estar físico e do tratamento”, conta a psicóloga.

Quais são os fatores de risco, além da idade?

  • O principal realmente é a idade, mulheres numa faixa etária de 50 a 70 anos
  • Fator de risco genético, onde é possível ter alterações genéticas que aumentam o risco de câncer de mama
  • A ingesta de bebida alcoólica ao longo da vida
  • Tabagismo
  • Falta de atividade física
  • Alimentação desregrada

O autoexame é um dos métodos mais eficazes de prevenção?

Conforme Lilian Sério, o mais fácil para descobrir câncer pequeno é o exame de imagem, durante a prevenção com mamografia e ultrassom de mama, que devem ser feitos pelo menos uma vez por ano.

Dependendo da história da família, o ideal é começar uma mamografia antes, com 35 anos. Todas as mulheres devem começar a partir dos 40 anos, fazendo o exame de dois em dois anos até os 50 anos. Dos 50 aos 70 anos, deve fazer, pelo menos, uma vez por ano a mamografia.

Tirando o câncer de pele não melanoma, o câncer de mama é o mais frequente nas mulheres brasileiras. Por isso, a gente tem que lembrar somente exames clínicos laboratoriais podem diagnosticar o câncer de mama.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 6 de outubro de 2019.