fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Principais Vilões da Qualidade de Vida

Há um tempo atrás, tínhamos a figura do carrasco e a figura do escravo como pessoas diferentes. Hoje, a gente tem tudo internamente. Estamos sempre nos cobrando e essas imposições externas não cessam, parece que perdemos a capacidade de relaxar.

A qualidade de vida depende de inúmeros fatores, como alimentação, atividade física e equilíbrio emocional. Às vezes, é tão comum ficarmos imersos no trabalho e nas tarefas do chamado terceiro expediente que deixamos de lado o principal: viver com qualidade. 

O Sempre Bem listou alguns dos principais vilões da vida plena. Confira!

Impactos do excesso de preocupação

O hábito da autocobrança em excesso, estimula a sensação de infelicidade e fracasso. E isso impacta diretamente na qualidade de vida. A professora Elaine Quinderé e a dentista Juliana Vieira sabe bem o que é isso.

“Tudo começou com um episódio de preocupação excessiva e sobre coisas fúteis. Geralmente, eu tinha uma crise de choro, de nervosismo e passava mal”, conta a professora Elaine Quinderé.

A dentista Juliana Vilela não se sentia completa no trabalho e em casa, porque sempre via que faltava alguma coisa. Isso refletia totalmente na sua imagem, no trabalho, no papel de esposa e de mãe. Ela achava que não estava sendo boa mãe nem boa profissional.

Carrasco x Escravo

De acordo com a psicóloga Jamille Façanha, antes, existia a figura do carrasco e a figura do escravo, que são pessoas diferentes. Hoje se tem tudo internamente, por isso, a pessoa está sempre se cobrando e precisando atingir uma nova meta.

Com as imposições externas, o indivíduo internaliza o que acaba virando uma busca incessante por melhoria, qualidade, crescimento e informação. Essa sede não cessa, é como se a pessoa não tivesse mais a capacidade de relaxar.

Síndrome de Burnout

A Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico de caráter depressivo que causa esgotamento físico e mental intenso e está intimamente ligada à vida profissional. Juliana experimentou o mal-estar físico, cansaço e fadiga decorrentes desse problema. Ela ficava doente e com a imunidade baixa. 

Eliane também começou a experienciar alguns sintomas característicos da estafa: tinha ânsia de vômito, 40 ºC de febre, estava com fraqueza e moleza. “Eu não tinha lazer e mal via meu esposo porque eu passava o final de semana trabalhando. Quando a gente conseguia ir ao cinema, eu chorava o filme inteiro por me sentir culpada de sair um final de semana e fazer algo por mim”, explica a professora. 

Estresse e Ansiedade

Para a psicóloga, se a pessoa não consegue se sentir bem com o dia a dia que vive, ficará estressado, trazendo outros sintomas em conjunto. Muita gente fala que a doença do século é a depressão, mas na verdade é a ansiedade. A maioria das pessoas a vivenciam de algum modo, querendo viver algo do futuro e não aproveitando o que está acontecendo no presente.

Hoje é muito comum falar de mindfulness, que é a presença, o aqui e agora. É importante viver o agora, ser grato pelas conquistas, planejar com consciência o futuro, encontrar as reais capacidades, sentir prazer no que faz, dentre outros.

É preciso se autoconhecer para preencher sua vida, pois o vazio da ansiedade e do estresse não vai ser preenchido com coisas, mas com consciência.

Assuntos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 22 de setembro de 2019.