Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Doenças de Primavera em Bebês e Crianças

Uma das estações mais bonitas do ano traz consigo sérios perigos para bebês e crianças. Os ventos aumentam, as temperaturas sobem e, com isso, acontece a proliferação de diversos vírus. Saiba mais na matéria!

Ah, a primavera...

A primavera é uma estação tão bonita e cheia de flores, mas é preciso cuidado porque toda essa beleza pode trazer sérios problemas principalmente para as crianças.

Segundo o pediatra Maiton Fredson, “na primavera, nós temos um período onde a temperatura vai aumentar e os ventos vão aparecer, provocando um aumento da proliferação dos vírus. Com isso, vai aparecer uma série de doenças, como roseola, catapora e sarampo”.

Sarampo

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, entre os meses de maio e agosto, foram notificados mais de 4 mil casos de sarampo em todo o país. São Paulo foi o estado com o maior número de casos confirmados com 905, em seguida Rio de Janeiro com 5 e na sequência o estado da Bahia com 1 caso confirmado.

“O sarampo é uma doença viral transmitida pelas gotículas de saliva de uma pessoa para outra. Os sintomas são: febre alta, manchas no corpo, coriza, fotofobia, tosse e mal-estar. É uma doença que pode se tornar grave, sendo muito comum na infância e adolescência, mas pode atingir os adultos”, explica o pediatra.

A grande prevenção do sarampo é a vacina. A primeira dose deve ser tomada no primeiro ano de vida. Durante a doença, o tratamento deve ser feito à base de remédios para os sintomas, além de ter um acompanhamento médico rigoroso já que pode se tornar potencialmente grave.

Conjuntivite

Outra doença que também merece bastante atenção é a conjuntivite. “É a inflamação da conjuntiva, uma parte do olho que, ao ser inflamada, produz um sintoma muito clássico que é o olho inchado, vermelho e com muito lacrimejamento”, conta Maiton Fredson. Ela está associada a dois fatores: os ventos e a proliferação dos vírus. 

Geralmente, é mais grave na infância, pois pode começar com uma vermelhidão nos olhos e secreções, e evoluir para um derrame. As crianças que apresentam conjuntivite podem transmitir com muita facilidade para os demais. 

Para se prevenir, o ideal é evitar coçar os olhos e passar algum produto sem recomendação médica. É importante procurar o atendimento especializado.

O tratamento pode ser feito com antibióticos, anti-inflamatórios, corticoides, colírios e lubrificantes. 

É importante ressaltar o cuidado de ter a higiene das mãos bem feita antes e depois do manuseio de medicação. Também é recomendada a troca de lençóis de cama, mesa e banho para evitar a proliferação dos vírus.

Assuntos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 15 de setembro de 2019.