fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Rotina de Alimentação: bons hábitos ajudam na digestão

A má digestão é um problema que atinge muita gente e os sintomas afetam diretamente a qualidade de vida. E pra ficar longe desse problema, tem que cuidar! Quer saber como prevenir as doenças e como cuidar da alimentação? Se liga. 

Alimentação x Digestão

Má digestão é um problema que atinge muita gente. De acordo com a Federação Brasileira de Gastroenterologia, quase metade da população brasileira sofre com esse mal. Os sintomas afetam diretamente a qualidade de vida e, para ficar longe desse problema, é preciso ficar atento à sua rotina de alimentação.

“Para ter mais estilo de vida, é importante priorizar a qualidade do sono e o gerenciamento do estresse, pois está todo mundo estressado e isso pode atrapalhar a digestão e o bom trânsito intestinal”, explica a nutróloga Clarissa Aguiar.

A fisioterapeuta Talita Bessa conta que já teve gastrite e úlcera gástrica. A alimentação equilibrada foi uma coisa que ajudou muito, fazendo com que as crises ficassem bem menores e os alimentos fossem bem digeridos. Isso evitou a sensação de empachamento e má digestão.

Prática de atividade física

Além da alimentação, é fundamental realizar atividade física para colocar o corpo em movimento, liberar o estresse e para ajudar no trânsito intestinal que vai auxiliar na digestão também. A prática de exercício físico também ajuda a diminuir aquela sensação de abdômen estendido.

Para o educador físico Leonardo Ferreira, “quem faz atividade física libera alguns hormônios pelos músculos. Esses hormônios têm um benefício anti-inflamatório sistêmico no organismo e na manutenção do próprio intestino. Esse benefício melhora e modula o funcionamento intestinal, trazendo vantagens na velocidade de digestão”.

Alimentos facilitadores da digestão

Existem alimentos que são facilitadores da digestão. “Quando se fala em boa digestão, se pensa na alimentação natural, como frutas, legumes e verduras que são ricos em fibras e ajudam no trânsito intestinal. As proteínas animais mais leves, como carne branca e vermelha também ajudam na digestão”, cita a nutróloga.

É interessante introduzir os alimentos mais pesados, como as carnes vermelhas, no meio do dia, por exemplo, no almoço. Nesse horário o organismo faz uma melhor digestão.

Para Clarissa Aguiar, “na hora de montar o prato, é fundamental inserir alimentos e temperos que facilitam a digestão, como abacaxi e limão que são fontes de fibra, legumes quentes que estão quase na temperatura corporal, o azeite que é uma gordura bem saudável e o vinagre de maçã que melhora o pH estomacal”.

Dicas para se alimentar bem

Antes de iniciar a refeição, o recomendado é reservar, pelo menos, meia hora para fazer uma alimentação tranquila, para que possa apreciar o alimento, mastigar com calma e dar o tempo para o sistema nervoso central entender que a pessoa está comendo.

Quando se come ingerindo qualquer bebida, principalmente as gasosas, ocorre uma distensão no estômago e dificulta a digestão. “O ideal é ingerir água ou algum chá até 30 minutos após. Líquidos que fermentam, como leite, iogurte, refrigerantes ou águas gaseificadas, deve-se aguardar pelo menos 2 horas”, ressalta a especialista.

Sono da tarde

Em relação à soneca da tarde, a nutróloga fala que favorece a digestão porque o ato de deitar, descansar ou inclinar o corpo, faz com que o fluxo sanguíneo pare um pouco de trabalhar para o cérebro e passe a trabalhar para o estômago. O ideal é tirar de 20 a 30 minutos.

Matéria originalmente veiculada no programa de 25 de agosto de 2019.