fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Digestão: Da Boca Ao Estômago

A partir do momento em que colocamos o alimento na boca, o processo da digestão começa. E é por isso que devemos dar total atenção à mastigação e à ingestão dos alimentos. Conheça como funciona o nosso processo digestivo.

Digestão: da boca ao estômago

A partir do momento em que se coloca um alimento na boca, já começa a digestão. A saliva tem uma enzima específica responsável pelo processo digestivo. E não para por aí… cada um dos órgãos desse complexo sistema tem uma função, mas é no estômago que tudo o que comemos começa a ser sintetizado para se converter em energia.   

Processo digestivo

“Quando o alimento penetra na boca, vai para o esôfago, tubo que vai conduzi-lo por meio de contrações até o estômago. Esse órgão receptivo é o local onde o alimento é misturado, liquidificado e se transforma em pastoso e semilíquido para formar um bolo (quimo)”, afirma o gastroenterologista Alessandrino Terceiro.

O quimo vai para o intestino delgado, onde é feita a absorção dos alimentos e nutrientes que vão ser a fonte de energia. Os resíduos que não forem absorvidos vão para o cólon, que é a porção final do trato digestivo. No cólon, esses resíduos são acumulados e, posteriormente, eliminados pelo reto e ânus.

Alimentação saudável

A alimentação saudável tem um papel fundamental “tanto para obter o maior número de nutrientes para as funções do cérebro, coração, fígado, quanto para excreção. Com uma alimentação boa, dificilmente, o paciente tem problemas de prisão de ventre ou diarreia, que vão acarretar a perda da qualidade de vida”, conta o especialista.

Mastigação

A mastigação faz toda a diferença para uma boa digestão e, infelizmente, as pessoas não estão mastigando os alimentos de forma correta. “Cada dente da boca tem uma função. Os incisivos cortam os alimentos, os pré-molares e molares vão triturá-los, que é a mastigação propriamente dita”, explica a dentista Thatye Arruda.

Para ter uma digestão correta, é necessário ter os dentes saudáveis. Existem dois fatores muito importantes: a higiene que se realiza no dia a dia com pasta de dente com flúor, fio dental e enxaguatório bucal todos os dias; e as visitas regulares ao dentista, que evitam o aparecimento de doenças bucais.

É preciso estar atento ao tempo gasto para se alimentar e ter uma boa digestão. “A mastigação rápida pode trazer problemas, por exemplo, o alimento não vai ser bem digerido e pode ocasionar transtornos de compulsão alimentar. Quando se mastiga bem, maior é a saciedade. Quanto mais rápida for a mastigação, a saciedade diminui e podem surgir transtornos de obesidade”, ressalta o médico.

Em relação à quantidade de vezes que uma criança deve mastigar os alimentos, não existe um número ideal de quantos minutos ou quantas horas ela vai mastigar. O recomendado é que triture bem o alimento porque esse é o primeiro passo da digestão.

Intestino é o segundo cérebro

O intestino é considerado o segundo cérebro, porque ele tem uma quantidade de neurônios muito grande, e pelo intestino dá para tratar até doenças graves. “O sistema digestivo é tão complexo, pois contém um sistema nervoso, endócrino e imunológico próprios, e melhorando a flora intestinal vai proporcionar a qualidade de vida, principalmente, do sistema nervoso interno e do central”, fala Alessandrino Terceiro.

Matéria originalmente veiculada no programa de 25 de agosto de 2019.