fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Exercícios Para Melhorar A Memória

Os exercícios para a memória são muito úteis para treinar nosso cérebro e mantê-lo saudável, você sabia disso? Eles funcionam como um método alternativo divertido e super eficaz. Aprenda os tipos e saiba mais assistindo à matéria.

Memória

Para manter o cérebro saudável e ativo, alguns exercícios para a memória são muito úteis e certos hábitos podem ser adotados com a finalidade de prevenir a perda da memória.

Esquecer a memória x Perder a memória

“A diferença entre esquecer e perder a memória é que o primeiro trata-se de um episódio pontual, como esquecer o número do telefone ou o nome de pessoas, que não se recorda naquele momento. Já o segundo é perder momentos da vida, como o nome do filho. Também há casos de pessoas com depressão que usam medicação e podem perder a memória de uma fase da vida”, explica a psicóloga Marina Baquit.

Causas da perda de memória

Em relação ao que causa a perda ou falha na memória, onde a memória é vista como consequência da atenção, um dos fatores é a falta da atenção, que vai depender do interesse que a pessoa tem por alguma coisa.

Para Marina, existe um tipo de perda de memória que é incontrolável e dependente da atenção, que acontece quando se tem algo no cérebro, alguma doença degenerativa como Alzheimer, quando se usa medicação ou bebida alcoólica. Essas situações são específicas, pois existe a quebra na transmissão nas sinapses do cérebro.

Trabalhar a memória

“O treino do cérebro deve ser feito desde a infância. Deve ser contínuo e por toda a vida”, aborda a psicóloga. Fazer palavras-cruzadas ajuda a estimular o funcionamento do cérebro, ter mais atenção e melhora a memória. Há outros exercícios, como ábaco, parede colorida, torre de Hanói, jogo da memória etc.

Para ter uma boa memória, a dica é praticar meditação. “Na meditação, a pessoa tem a atenção plena, vivendo o agora, além de estar presente naquele momento”, cita Marina Baquit. Existe também a neuróbica, a ginástica dos neurônios, que ajuda a treinar o cérebro e sair da zona de conforto.

Sobre o Alzheimer, com o treino cognitivo e a ginástica para o cérebro, é possível retardar o aparecimento dos sintomas ou até mesmo retardar o avanço daqueles sintomas que já apareceram.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 21 de julho de 2019.