fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Imunização É Vital Para Proteger A Saúde

Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves, e das suas complicações, que podem levar até a morte. E a gente descobre o porquê disso agora, confira a matéria!

Vacinação

Conforme o médico de família Bruno Benevides, é importante as pessoas se vacinarem a partir do momento que se reconhece a entrada de agentes em contato com o corpo, que podem causar a doença. Com isso, o próprio corpo já lança mão de seus próprios anticorpos para combater aquela doença, que pode levar à morte.

“Imagina que a vacina vai simular um jogo, onde os fragmentos dos vírus e das bactérias que estão contidos na vacina, ao serem inoculados no paciente, vão estimular o organismo a combater a doença. Com isso, vai gerar anticorpos que vão proteger no contato com vírus ou bactéria”, conta o farmacêutico Davi Bittencourt.

Segurança e eficácia das vacinas

As vacinas passam por uma série de testes. Tanto a iniciativa privada quanto o serviço público têm o registro na Anvisa, que precisa de toda uma regulamentação para que aquele produto seja disponibilizado às pessoas. Isso faz com que a segurança das vacinas seja muito eficaz e grande.

Vacinas contra alergias

Existem vacinas contra alergia. “Muitas substâncias podem ser inoculadas no corpo humano para fazer com que a gente tem uma dessensibilização, ou seja, a pessoa tem alergia a alguma substância e, aos poucos, a vacina vai fazendo com que o organismo não tenha mais aquela resposta imunológica que tinha no começo”, revela Bruno.

Veja também o vídeo (É asma, o que fazer?)

Vacinação anual

Pessoas que tomaram, por exemplo, a vacina contra H1N1 no ano passado precisam tomar este ano novamente. “A vacina deve ser tomada anualmente, porque o vírus é mutável”, afirma o farmacêutico.

Foi comprovado que se a pessoa não se vacinar anualmente, a qualidade imunológica dela cai por volta de 30%. Mas quando ela se vacina todos os anos, sobe para mais de 80% a proteção imunológica contra o vírus.

Vacina contra gripe

Para o médico da família, quando a vacina contra a gripe é administrada, demora duas semanas para começar a fazer efeito. Nesse período, até a vacina começar a ter sua eficácia, a pessoa está ali sujeita a contrair um resfriado ou uma gripe.

O que a vacina contra a gripe protege, por exemplo, são as pessoas que têm uma vulnerabilidade maior, como os idosos ou pessoas com problemas respiratórios. Se esses indivíduos contraírem uma gripe, podem desenvolver uma pneumonia e terem que ser internados no hospital, ter insuficiência respiratória e isso vai levar até a morte.

Importância da vacinação

Deixar de se vacinar faz com que as pessoas fiquem mais vulneráveis a doenças. Conforme o farmacêutico, “deixar de vacinar as crianças com a vacina da BCG, por exemplo, pode desenvolver uma forma grave da doença, que é a tuberculose encefálica. Com isso, a criança pode morrer ou ter uma paralisia”.

Leia também (Sarampo volta a preocupar: saiba como se prevenir)

Quando as pessoas não se vacinam, perdem a imunidade de rebanho. Para Bruno Benevides, “quando existem muitas pessoas vacinadas na população, se consegue impedir o avanço da doença. Mas quando tem uma porcentagem não vacinada, a doença consegue chegar às pessoas não vacinadas mais rápido e isso é um problema de saúde pública”.

Sistema de vacinação 

O sistema de vacinação Pague Menos vai fazer com que os clientes, ao procurarem o serviço do Clinic Farma, tenham acesso direto a todas as vacinas que estão no PNI sem necessidade de passar pelo médico.

O PNI já é um contrato dizendo que aquelas vacinas já são muito bem estudadas, que estão programadas e devem ser ministradas naquele período que foi indicado.

As outras vacinas que não estão contempladas no PNI, mas sim no calendário da SBim, que é a Sociedade Brasileira de Imunização, precisam ser avaliadas antes por um profissional médico que vai prescrever essa vacina para que a pessoa possa procurar na farmácia.

Na farmácia, existem farmacêuticos capacitados para fazer a avaliação do calendário vacinal, tanto pelo BNI quanto pela SBim, onde vai ser avaliado e sugerido para o profissional médico, diante do que foi avaliado naquele calendário vacinal, validar as informações e fazer a melhor sugestão para a imunização daquele paciente.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 23 de junho de 2019.