fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Os Efeitos Dos Exageros Estéticos

Muitas vezes, a obsessão pelo padrão de beleza leva as pessoas a correrem sérios riscos de saúde. E, em muitos casos, essas mesmas pessoas se submetem a diversos procedimentos estéticos de alto risco por não se sentirem satisfeitas com a aparência que têm. A Bruna Thedy conversou, então, com os especialistas Leissa Feitosa, psicóloga, e Érico Brasil, cirurgião plástico, sobre os efeitos e as consequências dessas decisões. Venha conferir! 

É cada vez mais comum as pessoas que buscam alcançar um físico, considerado perfeito, se submeterem a cirurgias graves e a procedimentos que podem trazer sérios riscos para a saúde. O Sempre Bem fala agora sobre os efeitos do exagero de quem acaba sendo escravo da beleza.

Quais são os transtornos das pessoas que buscam o padrão de beleza a todo custo? 

Para a psicóloga Leissa Feitosa, esses pacientes se encontram em um sofrimento psíquico intenso. Existe o transtorno dismórfico corporal, que tem relação com essa obsessão porque o paciente sofre por defeitos imperceptíveis aos olhos de outras pessoas.

Por isso, ele não consegue sair de casa ou trabalhar, o que pode acarretar uma fobia social, depressão e transtornos alimentares pelo fato de a pessoa achar que não está com o corpo perfeito.

Exageros de cirurgias plásticas e a saúde 

Há pessoas que, geralmente, operam uma parte do corpo porque não se sentem felizes ou possuem vergonha, e com o resultado acabam melhorando a autoestima. Mas aqueles pacientes que fazem muitas cirurgias plásticas no decorrer do ano para ficar com o corpo dos sonhos são casos de exageros, que podem causar problemas à saúde.

O cirurgião plástico Érico Brasil revelou que já teve exemplo de paciente que fez um lifting facial e três meses depois queria operar novamente, mas sem indicação. “Nesses casos é preciso explicar que não há necessidade de fazer um novo procedimento cirúrgico, mas se preferir tem tratamento de pele, peeling, botox ou preenchimento com ácido hialurônico”, pontua.

Confira a matéria (Dor para ficar bonita: Procedimentos Estéticos)

Tratamento psicológico ou psiquiátrico 

Quando o paciente insiste muito na realização de uma nova cirurgia, o indicado é pedir que procure um tratamento psicológico ou psiquiátrico para que não tenha nenhum problema no futuro.

Segundo a psicóloga, é muito difícil um paciente procurar o consultório de psicologia e psiquiatria para tratar esses transtornos por conta de uma resistência de perceber que realmente está com um prejuízo psicológico.

Hoje em dia, com o uso das redes sociais essa obsessão pelo corpo perfeito tem aumentado?

“É muito comum receber no consultório pacientes que chegam com fotos de pessoas nas redes sociais e desejam ficar com alguma parte do corpo igual ao daquela pessoa. Muitas vezes, trata-se de ilusão e não tem como chegar aquele resultado de perfeição, porque cada pessoa é única”, explica o cirurgião plástico.

Quais são as consequências que os exageros de procedimentos podem trazer o físico e corpo?

De acordo com Érico, as pessoas começam a procurar profissionais que não são qualificados, especialistas, nem médicos e começam a aplicar substâncias no corpo, como óleo de silicone e silicone industrial, para tentar aumentar os músculos.

Isso é extremamente perigoso, pois esse produto pode cair na corrente sanguínea e o paciente ter uma parada cardíaca.

Antes de fazer uma cirurgia plástica, é importante ouvir a opinião de um ou mais profissionais. Somente ele vai indicar o procedimento ideal para o seu caso, com o intuito de melhorar a sua saúde e autoestima.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 19 de maio de 2019.