fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Os desafios de educar

Ser mãe tem os seus desafios e talvez o principal deles seja o papel de educar. Tendo isso como ponto de partida, a Bruna Thedy conversou com a psicóloga infantil, Sara Castelo, e com a pedagoga, Rebeka Amaral, sobre o principal pilar da educação. Ah... a educadora infantil, Cris Poli, a Supernanny, deu dicas riquíssimas sobre o assunto. Clica aí!

Hoje é dia de celebrar a todas as mães do Brasil, celebrar o amor incondicional, a beleza da amizade e do afeto. Feliz Dia das Mães para todas as mulheres que possuem um coração capaz de amar infinitamente.

Todo mundo sabe que ser mãe também tem seus desafios, e talvez o principal deles seja o papel de educar. 

Educação a partir de exemplos

“A educação é prioritariamente o exemplo. Os desafios de educar são muitos, mas o difícil para os pais é o ‘não’. É muito importante o ‘não’ de amor, que vai doer naquele momento, porém mais na frente o filho vai entender”, descreve a jornalista Isabela Gurgel, que tem uma filha.

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço

Segundo a psicóloga infantil Sara Castelo Branco, as pessoas hoje em dia são muito ligadas às teorias educacionais e se esquecem do principal, que é dar o exemplo, considerada a melhor forma de educação. 

Rebeka Amaral, que é pedagoga e mãe de três filhos, conta que as teorias que aprendeu na pedagogia são diferentes da prática vivenciada no dia a dia. Cada filho tem sua forma de conversar e a educação é a mesma para todos.

Como funciona a divisão de papéis entre pai e mãe

Esse assunto está sendo cada vez mais falado, que é o pai não só ajudar e sim dividir de igual pra igual com a mãe. “A divisão de papéis entre eu e meu marido foi um processo. No início, muitas coisas ficaram pra mim por conta de ser pedagoga e saber mais sobre educação. Depois fomos nos alinhando, pois educar é educar juntos”, descreve Rebeka.

Hoje, ela tem um parceiro e pai, que é o seu marido, e eles trabalham juntos para educar da melhor forma seus filhos.

Mães no mercado de trabalho

Essa questão da mulher estar hoje em dia no mercado de trabalho e ter uma carreira profissional também gera culpa em relação à educação dos filhos e a ficar menos tempo em casa.

Para Sara Castelo, isso ocorre muitas vezes porque as mães ficam muito tempo fora e precisam delegar para uma babá ou para uma escola o tempo que a criança fique em casa. Então, esse fato gera muita culpa, pois a mãe acha que precisa estar com o filho, mas não consegue e ela precisa terceirizar. 

Papel da escolha e dos pais na educação

Alguns pais pensam que é o papel da escola é educar o filho, mas é diferente. “Essa é uma reclamação recorrente no consultório, que são as queixas do modelo disciplinar na escola”, ressalta a psicóloga infantil. 

Quando os pais vão escolher uma escola para o filho, as instituições têm propostas pedagógicas e filosofias educacionais cujos pais podem contar e escolher o que mais se adequa aos seus valores. Mas, a maioria dos valores vem de casa e a escola é um reforçador e orientador, e não o principal ponto de educação. A família é o ponto principal e a escola é o complemento.

Tecnologia e educação

Como os pais acabam ficando mais fora de casa e voltam cansados, a tecnologia acaba sendo uma ferramenta para esses momentos onde a criança está um pouco impaciente. Qual o limite disso?

“É muito importante que a gente entenda não só a tecnologia, mas em todos os aspectos, que os pais são responsáveis por colocar limites e dar exemplo”, salienta a pedagoga.

A orientação sobre a questão tecnológica na internet, celular, tablets, videogame e computador deve sempre ser colocada em casa como concessão e com o controle dos pais em relação ao tempo em que os filhos dedicam a esses aparelhos.

Confira também (Tecnologia e Relações Familiares: limites para pais e filhos)

Educação na adolescência

Tem gente que não tem filho ainda, mas já pensa na dificuldade que vai ser quando ele virar adolescente. Essa fase é mais difícil da educação? Conforme Rebeka Amaral, não é mais difícil, porém o principal é manter o diálogo aberto, com o intuito de deixar tudo sob controle.

Existem algumas fases mais difíceis: três anos é um clássico, pois todas as mães se desesperam nessa idade, e a adolescência é outra fase que pode ser difícil, porque o jovem começa a ter vontade própria, desejos e pensamentos, o que o torna mais questionador, desafiador, além de não aceitar o que falam e valorizar mais as amizades do que a família.

Dicas para educar os filhos

Educar é um desafio real. A gente conversou com a pedagoga Cris Poli, que é a famosa Supernanny, para saber dicas para educar os filhos. Confira!

  • Toda criança precisa de muito amor, que precisa ser demonstrado com abraços, beijos, brincar e rolar no chão com eles. Isso é uma demonstração de amor. 
  • A criança precisa de limites. Não é uma opção colocar limites, precisa tê-los.
  • Os filhos precisam dos pais por perto para orientar, encaminhar e acompanhar para estarem no caminho certo para enfrentar todos os desafios enquanto eles vão crescendo e amadurecendo.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 12 de maio de 2019.