fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Hipertensão arterial: o que é e o que causa?

Nessa última sexta-feira, dia 26 de abril, foi comemorado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, que é uma doença grave e silenciosa. 

O Sempre Bem convidou Adriano Milanez, que é cirurgião cardiovascular e vai explicar para a gente o porquê dessa doença ser tão perigosa. 

O que é hipertensão?

“É o aumento da pressão sanguínea sobre as veias, elevando a quantidade de força que o sangue exerce na parede dos vasos”, explica o cirurgião cardiovascular.

O que a hipertensão causa no corpo?

Ocasiona várias consequências e pode ser fator de risco para doenças muito mais devastadoras, como AVC, conhecido popularmente como derrame cerebral, e o infarto do miocárdio.

De acordo com Adriano Milanez, a pulsação cardíaca também está relacionada com a hipertensão. Todo o sistema cardiovascular age em conjunto. Com uma frequência cardíaca mais alta e um coração mais acelerado, esse sistema tende a jogar mais sangue e aumentar a pressão arterial.

Veja também (Como diagnosticar a hipertensão)

O que leva uma pessoa a ser hipertensa?

Existem várias causas. A hipertensão pode ser classificada em dois tipos: primária e secundária. 

A hipertensão primária ocorre quando não se acha nenhuma causa conhecida ou orgânica no corpo que esteja provocando essa pressão. Já a hipertensão secundária ocorre quando se acha alguma outra doença que esteja causando hipertensão. 

Os fatores de risco

História familiar

Significa a herança genética transmitida de pai para filho, que corresponde às características de cada organismo que vai aumentar o tônus vascular e diminuir a elasticidade dos vasos. 

Idade

O envelhecimento provoca uma diminuição na elasticidade dos vasos e mau funcionamento na parte endócrina das glândulas. Essa disfunção vai levar ao aumento da pressão arterial no decorrer do aumento da idade.

Peso

A obesidade aumenta a área corporal, quantidade de vasos e tecidos que o coração vai ter que bombear para o organismo. Isso vai aumentar a resistência do sangue nos vasos, fazendo com que o coração se contraia com mais força, o sangue vai aumentar a pressão e força, ocasionando o aumento da pressão arterial. 

Estresse

Não é um fator causal diretamente, mas pode piorar os sintomas da hipertensão. 

Leia também (Exercícios físicos ajudam a combater o estresse)

Afrodescendentes 

Pessoas de etnia afrodescendente podem ter um aumento das chances de ter hipertensão devido à herança genética da raça. 

Diabetes

Doença metabólica que acomete a deficiência de secreção de insulina no pâncreas, causando alterações nos vasos sanguíneos.

Sedentarismo 

A falta de atividade física faz com que o coração o sistema cardiopulmonar e vascular não esteja preparado para situações de estresse. Com isso, ele fica numa situação basal de repouso, como se estivesse em exercício. 

Confira o artigo (Corrida para um coração forte. Veja benefícios da modalidade)

Sal 

O consumo exagerado leva a um acúmulo de líquido no organismo. 

Colesterol elevado

Não se tem muito uma causa direta do colesterol elevado diretamente à hipertensão. Mas juntamente com a hipertensão e diabetes, é um importante fator de risco para as doenças mais graves ainda, como AVC e infarto. 

Leia também o artigo (Conheça 10 alimentos amigos do coração)

Tabagismo 

As substâncias contidas no cigarro, como a nicotina, provocam a vasoconstrição, fazendo com que os vasos não relaxem. Essas substâncias evitam o relaxamento natural dos vasos sanguíneos e também aumentam o risco de hipertensão.

Álcool

A ingestão de bebidas alcoólicas tem uma correlação importante com a hipertensão.

Mulher x Homem: quem tem mais risco de ter hipertensão?

Conforme Adriano Milanez, a diferença é pequena. Até os 50 anos, tende a ser um pouco mais comum a hipertensão nos homens . Após os 50 anos, com a menopausa, acaba sendo um pouco mais comum nas mulheres. Essa hipertensão acaba sendo um pouco mais grave na idade pós-menopausa entre as mulheres.

Veja também a reportagem da Ladinne Campi sobre o assunto (Dossiê do AVC)

Dados sobre hipertensão

Para vocês terem uma ideia da gravidade desse problema, a gente vai passar alguns números:

  • 32% da população adulta brasileira, o equivalente a 36 milhões de indivíduos, têm hipertensão
  • Desses 36 milhões, somente 50% sabem que são hipertensos, dos quais apenas 50% se tratam
  • Dessa parcela dos que se tratam, só 50% têm a pressão controlada

Isso é um problema de saúde pública, porque “a hipertensão é uma doença silenciosa, por isso, é muito comum a gente receber pacientes no consultório para uma consulta de rotina e perguntar se está sentindo alguma coisa, o que está incomodando hoje, e o paciente fala que não está sentindo nada. A pressão pode estar alta, mas ele não tem sintomas”, cita o médico.

Importância de medir a pressão

O ideal é que a pessoa procure sempre medir a pressão. Se já tem hipertensão, é importante medir pelo menos mensalmente ou semanalmente até o ajuste da medicação. Se não tem uma história familiar ou não tem um diagnóstico de hipertensão, pode medir a cada ano para ver como a pressão está se comportando.

Conteúdos relacionados

Matéria originalmente veiculada no programa de 28 de abril de 2019.