fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Cuidados com a pele dos pequenos

A pele das crianças é mais fina, delicada e sensível. Por isso, certos cuidados são mais do que necessários. O Sempre Bem te mostra agora como manter a pele dos pequenos saudável e protegida.

Segundo a dermatologista Hercilia Queiroz, o cuidado com a pele do bebê deve acontecer desde o nascimento. Os bebês a termo, que nascem no tempo correto, possuem uma maior perda de água pela pele, causando maior suscetibilidade a comprometer a imunidade da derme. Isso pode facilitar a entrada de bactérias, vírus e fungos.

Logo, é importante manter um cuidado especial com produtos específicos, higiene e manutenção da pele do bebê. 

Produtos para a pele do bebê

“A partir do nascimento, já se recomenda o uso de ativos, como óleo de abacate, semente de uva e glicerina, pelo menos uma vez ao dia. Deve-se manter o pH mais ácido da pele e aumentar o índice de hidratação para evitar perda de água da pele. A partir dos 6 meses, podem ser usados produtos com ureia que não causam irritação na pele”, cita a especialista.

Atenção papais e mamães, a hidratação é fundamental. Além disso, a higiene deve ser feita com produtos corretos, porque precisa manter o pH correto da pele. O recomendado é buscar a especificação do produto certo.

Vale sempre ressaltar que as crianças devem usar produtos específicos para essa fase para manter o pH mais ácido da pele. “Esses produtos infantis não devem ter ação detergente, devem conservar a barreira cutânea íntegra de defesa e manter uma hidratação correta dependendo da gravidade e alergia”, ressalta a profissional.

A pele dos bebês têm muito mais colágeno?

Conforme Hercilia, a pele dos bebês tem uma maior concentração de colágeno, principalmente na parte superior da derme, o que a torna mais fofinha, hidratada e agrega mais água. Ao longo da vida, após seis meses e ao longo da infância, as fibras de colágeno vão se igualando e se perdendo. 

Cuidado com a exposição solar

“É importante evitar exposição ao sol, porque a pele do bebê não possui as estruturas ativas que protegem contra a radiação solar”, explica a especialista.

Rotina de cuidado com as crianças

A jornalista Mayara Sousa é mãe da Valentina, que tem quatro anos e é super bem cuidada. A mãe tem o hábito de utilizar repelente infantil, protetor solar e hidratante.

  • Repelente: em uma determinada faixa de idade, geralmente, após os oito anos, pode usar o mesmo repelente de adulto
  • Protetor solar: deve ser passado antes da criança ir à escola, tanto no período da manhã quanto à tarde. A reaplicação deve ser feita. A partir de seis meses, é recomendado usar o filtro solar com o FPS de no mínimo 30. Em crianças com a pele mais branquinha e mais clara, sem a proteção das estruturas que defendem contra a radiação, pode subir para o FPS 50.
  • Hidratante: o recomendado é usar pelo menos uma vez ao dia. As orientações, além da hidratação, são banhos frios, uso de sabonetes infantis que mantenha um pH mais ácido da pele e a hidratação na pele (do corpo inteiro). O ideal é passar assim que sai do banho, pois o corpo está úmido e permite uma maior penetração do hidratante e dos ativos de tratamento. 

Reações alérgicas

Mayara revela que antes de usar o protetor e o repelente na Valentina, sempre aparecia umas manchas vermelhas e coceiras referentes à picada de mosquito. 

“Quando o antecedente é alérgico, a criança apresenta um sinal de dermatite atópica, principal alergia que acomete crianças e bebês. Nesse caso, é recomendado buscar uma especialista para fazer um tratamento e abordagem diferenciada para a pele dessa criança”, pontua Hercilia.

Conteúdos relacionados

 Matéria originalmente veiculada no programa de 21 de abril de 2019.