fbpx

Aos domingos, 8h15 no

teste teste teste
família colocando moedas no cofrinho família colocando moedas no cofrinho Foto: Adobe Stock
Comportamento

Bendito cofrinho: educação financeira para crianças

Menos gastos, mais recompensa. O hábito da economia pode gerar grandes lucros

Por Sempre Bem

Economia financeira pode até parecer, mas não é coisa só de adulto, viu! As crianças devem aprender a controlar seus gastos e se acostumar a economizar desde cedo. O cofrinho é uma ótima maneira de estimular a responsabilidade com o dinheiro para que se tornem adultos capazes de planejar suas finanças.

Uma boa educação financeira é essencial para a saúde do bolso e até para ganhar qualidade de vida. No caso das crianças, os pais devem ensinar o planejamento financeiro para atingir seus objetivos a curto, médio e longo prazos. Além disso, é necessário que os pequenos entendam que administrar o dinheiro é fundamental no dia a dia.

Por isso, o Sempre Bem trouxe dicas de educação financeira para você ensinar as crianças o quanto antes como cuidar bem do dinheiro.

1. Use o cofrinho

Sim, o cofrinho pode ser o primeiro contato da criança com o controle financeiro. O ideal é explicar que, sempre que sobrar dinheiro, ele deve ser guardado ali. Outra coisa importante é ensinar que só pode retirar o dinheiro quando o cofrinho estiver cheio.

2. Aposte na mesada

Cuidar das finanças pessoais faz parte da aprendizagem sobre educação financeira. Por isso, ensine a criança a cuidar do seu próprio dinheiro. Ao dar uma mesada para os pequenos, atribua também responsabilidades e ensine-os a planejar como gastar.

3. Atribua recompensas

Para cada ação positiva das crianças, atribua uma recompensa e estipule um prazo para pagar. Um exemplo que alguns pais já adotam é o bônus por boas notas e os débitos da mesada quando os filhos deixam de realizar alguma tarefa, como não escovar os dentes, não almoçar etc.

4. Ensine a diferença entre querer e precisar

Se para os adultos esse é um grande desafio, imagine para as crianças! Mas não é permitido desistir, hein! Então, sempre incentive seus filhos a refletir sobre o que eles querem e o que realmente precisam. Ter esse senso bem claro faz muita diferença na vida financeira de qualquer pessoa… grande ou pequena!

Educação financeira pessoal

Claro que não adianta nada ensinar tudo isso às crianças e não praticar o que diz, né! Portanto, os pais também devem fazer a lição de casa e organizar direitinho suas finanças pessoais para serem exemplo para os filhos. 

Pensando nisso, trouxemos as dicas do Sérgio Dias, economista do Sebrae no Rio de Janeiro e nosso parceiro na Revista Sempre Bem. Confira!

Programe seu futuro

A previdência privada é um planejamento de investimento a longo prazo para programar a aposentadoria. O objetivo é garantir uma renda extra para desfrutar mais conforto e qualidade de vida nessa fase da vida. “O dinheiro depositado vai sendo investido pela entidade financeira e pode ser resgatado total ou parcialmente”, destaca o economista Sérgio Dias.

Escolha seu plano ideal

Para saber em qual plano você se encaixa melhor, faça uma simulação. A maioria dos sites das instituições financeiras tem esse serviço. 

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)

VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre)

$ O imposto é sobre o valor disponível

$ Desconto, uma única vez, no momento do resgate do dinheiro

$ O imposto é aplicado apenas sobre os rendimentos

$ Descontos no momento do saque

 O PGBL é recomendado para quem faz a declaração completa do imposto de renda. O investidor pode deduzir do imposto o que investiu durante o ano no plano de previdência até chegar o limite de 12% de sua renda bruta. Quando for sacar esse dinheiro, pagará o imposto sobre o valor total resgatado ou sobre a renda recebida. Ou seja, o dinheiro investido e também o rendimento dele.

O VGBL é indicado para quem declara o imposto de renda no formulário simplificado e também para quem é isento. Nesse caso, o investidor não pode abater suas aplicações feitas ao longo do ano no imposto de renda. Mas, quando for sacar o dinheiro, pagará imposto apenas sobre o valor dos rendimentos e não sobre o total acumulado.

SIMULAÇÃO

PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - VGBL E PGBL

BENEFICIÁRIO

DEPÓSITO MENSAL

Aposentadoria com 60 anos (Após 30 anos)

RENDA MENSAL Projeção por 20 anos

Pessoa com 30 anos

R$ 400

R$ 686.152,26*

previsão de valor acumulado

R$ 2.858,97*

   

Valores brutos, sem o desconto dos impostos devidos.

*Tanto no Plano VGBL quanto no PGBL, os valores finais de investimento acumulado e rentabilidade são os mesmos. A diferença está no regime tributário, ou seja, quanto o investidor vai pagar no imposto de renda. (O simulador utilizado foi o do Banco Santander)

Este artigo encontra-se originalmente publicado na edição 34 da revista Pague Menos Sempre Bem, que tem o Bráulio Bessa na capa.

Por Sempre Bem

Comentários

Cantinho da Bruna

Bruna Thedy mostra que uma produção não precisa de muito para fazer bonito.

Conheça