Pague Menos Registra Crescimento de 17,7% no Faturamento em 2014

Resultado passou de R$ 3,719 bilhões para R$ 4,378 bilhões

Sob o comando de Deusmar Queirós (centro), as

Farmácias Pague Menos planejam ter mil lojas até 2017

Para acessar a imagem em alta resolução, clique aqui

As Farmácias Pague Menos registraram, no ano passado, um crescimento de 17,7% no faturamento, passando de R$ 3,719 bilhões para R$ 4,378 bilhões, segundo apurou o balanço financeiro realizado pela auditoria contratada pela empresa.

Em 2014, o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) saltou de R$ 262,6 para R$ 332,2 milhões, alta de 26,5%. O lucro líquido subiu R$ 109,4 para R$ 116,3 milhões, como reflexo, principalmente, da evolução do mix de produtos.

“Esse avanço consistente é motivo de orgulho. Tivemos crescimento de dois dígitos em todas as regiões do país”, afirma Francisco Deusmar de Queirós, presidente das Farmácias Pague Menos, a única rede do varejo farmacêutico presente em todos os 26 estados e no Distrito Federal. “Os investimentos em capital humano, ajustes no mix de produtos, melhora no nível de serviço, reformas das lojas e a estratégia de marketing garantiram o resultado conquistado. Estamos na direção certa”, completa.

A venda de não-medicamentos, cujo resultado bruto é maior que dos demais, cresceu 30,0% e passou a representar 30,0% da receita bruta, ante 27% em 2013. Com mais de 750 lojas em operação na atualidade, a rede obteve condições comerciais diferenciadas junto aos fornecedores, potencializando a atual dinâmica de ampliação das margens. A evolução do mix de vendas evidencia o consistente ganho de participação dos produtos de higiene e beleza, suplementos, entre outros. Importante destacar que os medicamentos também apresentaram expressivo crescimento no ano, de 13,1%, com todos os subgrupos (genéricos, OTC/isentos de prescrição e medicamentos de marca) subindo dois dígitos.

As Farmácias Pague Menos mantiveram a estratégia de crescimento orgânico, sem aderir à onda de fusões ou aquisições. Com essa estratégia, a companhia já atua em 259 municípios brasileiros, contra 96 atendidos há cinco anos. “É gratificante constatar que, ao alcançar essas novas cidades, chegamos à vizinhança de 130 milhões de brasileiros. E não vamos parar! Onde houver um brasileiro, estaremos por perto”, destaca o presidente.

Em 2014, a empresa inaugurou seu novo Centro de Distribuição (CD) em Hidrolândia (GO), um dos maiores da América Latina do varejo farmacêutico. Com a adequação das atividades de logística, a rede retomou fôlego para inaugurar 96 lojas. Ao final do ano, a rede fechou operações com 738 pontos de vendas e para 2015 a previsão é de abrir 98 novas lojas, sendo oito substituições, o que resultará em um crescimento de 90 novas filiais, totalizando 828 lojas. Até 31 de dezembro de 2014, 35% das lojas atingiram o estágio de maturação (até três anos) e 65% delas já eram classificadas como maduras (mais de três anos de funcionamento). Para 2017, a rede projeta atingir a marca de mil unidades.

Em relação à distribuição geográfica das lojas, o Nordeste ainda detém a maior concentração, com 382 lojas (53,1%). O Sudeste mantém o segundo posto, com 166 pontos de vendas (22,5%), seguido das regiões Norte, com 70 (9,5%); Centro-Oeste, com 64 (8,7%); e Sul, com 46 (6,2%).

Gestão e projetos

A excelência na gestão de talentos também foi destaque no período. A companhia foi uma das 24 vencedoras do GPTW Varejo, além de ser reconhecida como uma das Melhores Empresas Para se Trabalhar no Varejo e a número 1 na categoria regional Nordeste. “Nossos colaboradores atendem com amor do tamanho do Brasil, porque, antes de tudo, são valorizados”, explica Queirós.

Em setembro último, a rede iniciou uma parceria de longo prazo com a IBM, que contempla cinco macro áreas: Experiência do Cliente, Logística, Dinâmica Comercial & Cadeia de Suprimentos e Gestão do Ciclo de Vida de Produtos. O ponto de partida será a implantação do software IBM Demandtec, que aplica estatística avançada e análise de dados no processo de precificação.

Matéria publicada em: